Dicas sobre o traje da Noiva: “Com que roupa eu vou?”

Rendados, plissados , armados e até curtos. Os vestidos de noiva podem ser de mil jeitos diferentes. O que conta é que o modelo escolhido reflita o seu jeito e esteja adequado ao seu manequim . E todo cuidado é pouco, pois você estará no centro das atenções . Para ajudar na escolha , seguem dicas para o traje quando a cerimônia é realizada de dia, à tarde ou à noite. 


Dia pede leveza

O brilho da manhã oferece um clima todo especial caso você decida se casar antes do meio dia . Em geral, nesse horário a cerimônia é mais descontraída e aconchegante, sem deixar de ser elegante. Combinar tecidos leves, rendas e bordados é o melhor caminho para casar sob a luz do sol.

– Evite brilhos . Tecidos como musselina, organza, shantung e jacquard de seda são os mais apropriados. Leveza é a palavra chave.

– Prefira cores bem claras: branco ou off white, no máximo pérola.

– Rendas, bordados de linha, aplicação de pérolas ou de pedras matizadas ( sem brilho) dão um toque  refinado ao vestido.

– Flores em tecido caem superbem. Podem ser aplicadas no vestido ou compor a grinalda.

– O comprimento pode variar: da elegância dos longos à descontração dos longuetes. Tailleurs são uma boa opção.

– Grinalda: as flores naturais são perfeitas para esse horário.Mas atenção na escolha: procure aquelas que suportam melhor o calor , não ficam escuras e não atraem insetos .

– Como precaução, tenha um arranjo a mais , caso você precise trocar algumas flores.

– Acessórios: casquete com veuzinho é charmoso e funciona bem de manhã.

– Brincos e colares sutis. Pérolas continuam em alta. A luva é opcional, mas deve ser sempre bem leve.

– Prefira sapatos fechados, nada de sandálias. O ideal é forrar o calçado. Exceto se o casamento for celebrado onde o piso é natural ( grama, pedras, areia , etc..)


O romantismo da tarde

Nada mais romântico que o pôr do sol em um belo jardim.Essa pode ser a combinação perfeita para celebrar a sua união .Nesse cenário, a maioria dos casamentos ocorre por volta das 16 horas- são as chamadas garden parties, realizadas ao ar livre, em fazendas ou jardins da cidade. Combinar tecidos, explorar fitas, pedras matizadas e cristais é perfeito para o horário.
– Tecidos leves. Invista em musselina e shantung. Rendas são bem vindas.

– Os modelos são menos estruturados. Aposte na languidez, na sensualidade, no romance.

– Como a festa invade a noite, você pode trabalhar o vestido com fitas, drapeados, pérolas .pedra matizadas ou cristais.

– Longo, sempre. Quanto às cores, nada de inventar: branco ou off white são a sua pedida.

– Se for o seus  segundo ou terceiro casamento, você pode preferir deixar de lado o tradicional vestido de noiva e optar por um modelo longo em tom pastel.

– Nesse horário , evite decotes ousados.O caminho é a criatividade na confecção de detalhes que surpreendam, como uma única alça ou um bordado diferenciado na parte do busto.Vale até investir em uma ligeira cauda.

– Grinalda: coroas com brilho, grampos de pérola e de pedras podem ser uma boa opção para você.

– Véu é indispensável. Uma mantilha também fica elegante nesse horário- se for uma peça de família que já tenha sido usada por mulheres de outras gerações, melhor ainda.

– Acessórios : use o bom senso. Vestidos mais trabalhados pedem brincos pequenos. Se o seu vestido tem menos brilho, você deve optar por jóias de mais destaque.


Á noite, c
om elegância

É o luar que embala a maioria dos casamentos.À noite , sua cerimônia ganhará brilho e ficará mais tradicional. Nesse horário você pode tudo, desde que com bom gosto.
– Aposte em cristais e brilhos ou em modelos em que a ousadia está no corte, no trabalho do tecido.

– Os tecidos podem ser mais pesados, como crepe de seda e tafetá.

– Atualmente , os vestidos estão mais secos , mais juntos do corpo, menos armados, mas quem define isso é você.

– Abusar das pedrarias não faz mal, desde que seja com bom gosto. Vale criar desenhos ou acompanhar os detalhes do tecido com pedras e cristais.

– Grinalda: grampos e tiaras são os mais indicados para a noite. Pedras ou pérolas dão um toque especial em cabelos presos ou soltos.

– Véu é indispensável , mas sempre leve. Deve ser posicionado de acordo com o tipo de rosto. Se redondo, coloque o véu mais atrás da cabeça. Se afinado, use o véu mais alto.

– Acessórios: vestidos mais lisos pedem mais acessórios . Vestidos muito bordados devem ser acompanhados de acessórios pequenos e sutis.

– Luvas caem bem, mas precisam combinar com o estilo do vestido.

– Conforto é essencial na escolha dos sapatos- e a dica é amaciá-los alguns dias antes. À noite, opte pelos forrados. Fica interessante brincar com tecidos bordados no calçado se o vestido for liso.


Dica Valiosa:


O vestido precisa combinar com a sua personalidade , favorecer você fisicamente e deixa-la segura para o grande dia. Mas o modelo deve seguir sempre uma linha clássica. Assim fica eterno. Cuidado com a maquiagem e o cabelo. Mesmo à noite é perigoso carregar. Voce precisa ser natural e  não parecer outra pessoa.

( Livro “Casar- Do planejamento à celebração em grande estilo”- Vera Simão)

posted by master in Dicas e Tendências and have No Comments

As Flores da Estação

 JANEIRO: antúrio, áster, boca de leão, cáspia, delfino, orquídeas principalmente a catléia, cravina, llisiantus;

FEVEREIRO: angélica, áster, cáspia, delfino, gladíolo, orquídeas;

MARÇO: angélica, delfino, gipsófila ou mosquitinho, margarida e orquídeas;

ABRIL: angélica, gipsófila ou mosquitinho, gladíolo, strelitza, rosa;

MAIO: áster, cravina, cravo, crisântemo, gipsófila ou mosquitinho, gladíolo, narciso, orquídeas catléia, cimbídio, etc., rosa, strelitza, tango, tulipa;

JUNHO: angélica, áster, cravina, cravo, crisântemo, gipsófila ou mosquitinho, gladíolo, narciso, orquídeas catléia, cimbídio, etc., rosa, strelitza, tango, tulipa;

JULHO: angélica, gipsófila ou mosquitinho, goivo, orquídeas, tango, tulipa;

AGOSTO: copo de leite, estátice, frésia, girassol, goivo, iris, narciso, oncidium, tulipa;

SETEMBRO: copo de leite, crisântemo, delfino, estátice, frésia, gérbera, gipsófila ou mosquitinho, girassol, gladíolo, goivo, iris, narciso, oncidium, rosa, strelitza, tulipa;

OUTUBRO: agapanto, áster, copo de leite, dália, delfino, estátice, frésia, gérbera, gladíolo, girassol, lírio branco, rosa, tango, strelitza, tulipa;

NOVEMBRO: antúrio, áster, boca de leão, cáspia, copo de leite, crisântemo, dália, delfino, gérbera, gipsófila ou mosquitinho, girasssol, lisiantus, rosa, tango;

DEZEMBRO: antúrio, áster, boca de leão, cáspia, copo de leite, cravina, crisântemo, dália, delfino, gérbera, gipsófila ou mosquitinho, girasssol, lisiantus, rosa, tango;

posted by master in Dicas e Tendências and have No Comments